All for Joomla All for Webmasters
MotoGP

Crónica: Miguel Oliveira e Maverick Viñales – O peso de uma bandeira

Miguel Oliveira e Maverick Viñales têm um longo historial a competir juntos, mas a carreira do espanhol descolou bem mais cedo, num mundo dominado por…espanhóis.

Antes de mais, Viñales é um piloto de excepção e a entrada no MotoGP era uma questão de tempo, independentemente da sua nacionalidade, disso não há dúvidas e os méritos das suas conquistas provam-no. Mas não deixa de ser curioso: e se Oliveira fosse espanhol e Viñales português? Estariam na mesma situação actual?

Complicado…mas essa é uma questão que morre sem resposta conclusiva. Ambos talentos precoces, o sucesso esperava-os desde cedo. O talento inapto foi sendo trabalhado, com o caminho trilhado pelos dois a ser bastante distinto.

Um é português e tudo o que tem nasceu do esforço da sua família num mundo onde conseguir apoios externos custava – e continua a custar – muito mais. Um espanhol que vá mostrando resultados e potencial atrai outro tipo de atenções com uma taxa de esforço bem menor. Esta é uma das vantagens de Viñales. Aquando da partida de Lorenzo para a Ducati falava-se na possibilidade de Andrea Iannone passar a ser colega de Valentino Rossi…mas também se dizia que o patrocinador maior da Yamaha, a espanhola Movistar, pretendia um piloto espanhol. Coincidência ou não…Viñales foi contratado.

Viñales não teve de sair do seu país para dar nas vistas, por exemplo. Espanha é um dos mercados onde o motociclismo tem mais tradição. E isso atrai muito mais público, mais patrocinadores, mais possibilidades. Viñales teve outros elementos potenciadores em seu redor desde cedo enquanto Miguel Oliveira teve a vida manifestamente muito mais complicada. Muitos sacrifícios depois, o talento foi sendo mais e mais visível.

Está a ser uma ascensão a pulso, a de Miguel Oliveira, mas sólida. Agora todos reparam em si, mas até ali chegar…foi sangue, suor e lágrimas. Viñales também abdicou de tudo em prol do sonho, e trabalhou muito. Mas os apoios foram aparecendo, os olhares estavam mais em si num dominado por Espanha: a Dorna é espanhola, gerida por espanhóis, com muitas equipas espanholas e com muitos patrocinadores espanhóis.

Uma imagem de outros tempos mostra três promessas do motociclismo: Loris Baz, Maverick Viñales e Miguel Oliveira. Jovens plenos de ambições e todos eles vencedores nas classes inferiores do MotoGP… O primeiro, Baz, entrou pela porta pequena na classe rainha e de lá saiu sem dar nas vistas. O segundo, espanhol, está numa das equipas mais poderosas e competitivas da actualidade e o outro, português, vem sendo cobiçado por equipas da classe rainha há anos. No final de 2015, quando assinou pela Leopard, Oliveira confirmou que teve equipas do MotoGP interessadas em si…mas só deverá ascender ao topo das classes em 2019.

Talento sem trabalho não vai longe. Mas sem apoios que potenciem esse talento…é que não vai mesmo a lado nenhum.

Crónica: Miguel Oliveira e Maverick Viñales – O peso de uma bandeira
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com