All for Joomla All for Webmasters
MotoGP

Crónica: Miguel Oliveira VS Maverick Viñales – o início de uma rivalidade (parte 1)

Imagem de 2010 - Créditos: David Palmero

Oito dias separam os nascimentos de Miguel Oliveira e Maverick Viñales, dois talentos do motociclismo mundial e que foram grande rivais em 2009 e especialmente em 2010, quando competiam no campeonato espanhol de velocidade.

Quis o destino que as suas carreiras caminhassem em lados opostos da barricada mas rumo ao mesmo objetivo: serem campeões do mundo. As suas carreiras cruzaram-se com especial rivalidade em 2010 mas foi em 2009 que ambos mediram forças a um nível superior, no campeonato europeu.

2009 – Oliveira bate Viñales três vezes nas quatro corridas que ambos acabaram

A classe 125GP tinha inscritos nomes como PJ Jacobsen, Johann Zarco, Jonas Folger ou Michael Van der Mark, todos eles pilotos que hoje competem em campeonatos do mundo de velocidade, mas seria Alberto Moncayo o vencedor.

A Blusens-BQR participou com três nomes: Johnny Rosell Traballero, Miguel Oliveira e Maverick Viñales, mas seriam estes dois últimos a dar mais nas vistas.

Na primeira corrida, em Albacete, Oliveira batia Viñales na qualificação: o luso era quinto e o espanhol sexto. A ronda seguinte, em Jerez, via Oliveira voltar a bater Viñales na pole position:

Fonte: fimcevrepsol.com

Já na quarta ronda, em Albacete, novos indícios de uma rivalidade quente, com Oliveira a bater o espanhol:

Fonte: fimcevrepsol.com

Até final do ano a história repetiu-se na Catalunha e em Jerez, com o português a deixar o espanhol para trás.

No final Viñales foi segundo no campeonato com uma vitória, um segundo lugar e um terceiro lugar como melhores resultados, e Oliveira terceiro com três segundos lugares….todos a acabar à frente do espanhol. O português pontuou em quatro das sete corridas e dessas quatro vezes bateu Viñales em três. Mas os zero pontos nas primeiras duas corridas e na última minaram as suas possibilidades de lutar pelo título.

Fosse como fosse, Viñales estava agora atento ao português, que tinha marcado a sua posição no país vizinho. Este ano era apenas o começo de uma rivalidade que amanhã vos trazemos com a segunda parte desta crónica.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com