All for Joomla All for Webmasters
Superbike

Kawasaki insatisfeita com regras sobre a performance dos motores no WSBK

A Kawasaki não está satisfeita com as mais recentes regras do Mundial de Superbike, que estabelecem um máximo de rotações por minuto (rpm) do motor para as motos mais bem-sucedidas. É uma tentativa de tornar o pelotão mais equilibrado depois de nos últimos anos as equipas oficiais de Ducati e sobretudo Kawasaki terem dominado.

Citado pelo bikesportnews.com, o dirigente do projeto da Kawasaki no WSBK, Yoshimoto Matsuda, explicou: ‘Isto é uma regra de competição, não digo regulamento, para nivelar todos os construtores que participam no WSBK. A Dorna estabeleceu um regulamento da velocidade do motor. Todas as motos quatro cilindros devem ter menos do que 14.700rpm, exceto a Kawasaki que tem 14.100rpm. São menos 600 rotações por minuto‘.

O responsável está ciente de que se trata de uma limitação importante que a Kawasaki terá que trabalhar para ultrapassar: ‘Isso significa que temos um grande condicionamento porque já percebemos que a velocidade do motor é chave num propulsor de quatro cilindros. E também pode existir a redução de 250rpm a cada três rondas. Temos que o aceitar. A nossa moto é agora 1.100rpm mais lenta do que em 2017 e é nesta condição que temos que trabalhar.

Segundo o que as regras estabelecem, as Kawasaki poderão ter uma redução de 750rpm até ao fim da época caso tenha demasiados pontos de equilíbrio face aos seus rivais. Matsuda lamentou estes regulamentos: ‘Não é tudo. Se esta equipa se está a tornar uma equipa vencedora, a Dorna pode decidir tudo. É uma regra desportiva, uma regra condicionante. Temos que ter dificuldades para lutar. Algumas outras equipas podem ter que reduzir, mas não sei, isto é uma decisão da Dorna. Quando a ZX-10RR tem as rpm mais baixas então estamos a ser desafiados para sermos bem-sucedidos‘.

Apesar da frustração por não conseguir alterar as regras, o responsável garantiu que a Kawasaki está empenhada em encontrar soluções para mitigar a desvantagem criada pelos regulamentos:

– Honestamente estamos muito cansados de falar disto com a Dorna. Mas a Dorna adotou a regra, não a podemos parar, não a podemos mudar. Como uma empresa de engenharia o nosso objetivo é ultrapassar constantemente as limitações. Somos engenheiros, logo temos que encontrar uma solução. Mudámos o conceito da moto de uma com elevada velocidade de rotação em curva para uma baseada no binário em curva. Ou seja, uma moto com muito menos velocidade do motor para encontrar performance.

Kawasaki insatisfeita com regras sobre a performance dos motores no WSBK
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com