All for Joomla All for Webmasters
MotoGP

Quem são os rookies do MotoGP para 2018?

Tal como em 2017, este ano existe quatro novos pilotos no MotoGP e todos eles estarão presentes nos testes de Sepang. No entanto, Tom Lüthi irá estrear-se mesmo na Malásia depois de ter sofrido um acidente nesse mesmo circuito. O suíço acabou por se lesionar e viu a sua estreia no MotoGP ser adiada para os testes que irão ocorrer entre 28 e 30 de janeiro.

  • Franco Morbidelli

O piloto italiano de tornou-se campeão do mundo de Moto2 e vai para a classe rainha através da equipa que o ajudou a vencer o campeonato: a Marc VDS. Morbidelli começou a sua carreira vencedora nas STK600 e rapidamente ganhou destaque o suficiente para pilotar na classe intermédia do mundial. Venceu o título em 2013 e foi nesse ano em que o #21 apareceu pela primeiro vez no paddock dos Grandes Prémios, acabando por competir através de wildcard nas rondas de Misano, Motegi e Valência.

Pilotou a tempo inteiro no Moto2 a partir de 2014 e no ano seguinte, em Indianapolis, conquistou o seu primeiro pódio. Depois de recuperar de uma perna partida, Morbidelli juntou-se à Marc VDS e foi a partir desse momento que começou a ganhar destaque.

Foi na parte final de 2016 que Morbidelli lançou as bases necessárias para ser competitivo em 2017. O piloto praticamente dominou o campeonato e conseguiu coroar-se campeão na penúltima ronda do campeonato, depois de Tom Lüthi se ter lesionado.

  • Tom Lüthi

A Marc VDS desde ano vai pilotar com uma dupla de novatos. A estrutura belga vai ter Morbidelli e Tom Lüthi aos comandos da sua Honda, depois dos dois pilotos terem batalhado pelo título. O suíço é o piloto mais velho dos quatro que vão competir na classe rainha. O curriculum do piloto é impressionante, assim como o tempo que o #12 demorou para chegar ao MotoGP.

Foi um dos pilotos que ajudou a desenvolver a KTM RC16 para a temporada passada e o seu conhecimento/experiência poderão ser bastante uteis no MotoGP. No entanto, a lesão que sofrei no final de 2017 atrasou todo um processo de adaptação, pelo que não será de espantar se Lüthi se mostrar mais lento que Morbidelli ao longo da primeira metade da temporada.

  • Takaaki Nakagami

O piloto japonês ser o próximo companheiro de equipa de Cal Crutchlow e terá uma Honda oficial à sua disposição. Nakagami será, assim, o único rookie a a ter uma moto de fábrica completamente atualizada. Posto isto, não seria de admirar se o piloto fosse o mais rápido dos quatro estreantes do MotoGP no final da temporada.

No entanto, o piloto não foi um dos mais rápidos nos testes de Valência. Ainda assim, terá mais uma oportunidade em Sepang e os primeiros passos poderão ser dados nesse sentido, já nos dias que se aproximam. No entanto, só no Qatar é que Nakagami poderá mostrar o seu real valor aos comandos de uma Honda.

  • Xavier Simeon

O belga é o único piloto a competir numa moto que não seja a Honda. Simeon estará aos comandos de uma Desmosedici depois de ter assinado um contrato com a Avintia. Na verdade, a sua contratação foi bastante falada na altura, porque dos quatro pilotos este é o que apresenta uma maior falta de resultados competitivos.

Ainda assim, Simeon poderá surpreender mas para isso será preciso uma dose bem pesada de trabalho e dedicação. Nos testes de Jerez, o piloto afirmou que não estava nas melhores condições, chegando mesmo a declarar que apenas conseguiu fazer poucas voltas no seu limite. É imperativo melhorar a sua condição física, pelo que Sepang será importante para avaliar a condição do piloto.

Fonte: MotoGP

Quem são os rookies do MotoGP para 2018?
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com